Revista Pessoal - Melhores Fornecedores RH 2012: Conceito O2, Aprender, reinventar, aplicar
Artigos de Media sobre Competências - Revistas

Conceito O2 - Aprender, reinventar, aplicar


Uma mistura de paixão, energia, vontade e emoções é o que faz com que a Conceito O2 tenha sido distinguida como Melhor Fornecedor RH na sua área de atuação. Mas há que juntar às razões de eleição a abertura para aprender, reinventar e aplicar, como referem as partners Sofia Calheiros e Isabel Freire de Andrade.

por: Vera Esteves

 

 

Em primeiro lugar, a preocupação em ter uma equipa de colaboradores “inovadora, com grandes qualificações, instrumentos e ferramentas”, para, em segundo, “oferecer o melhor e mais atual aos clientes, tornando possível que os produtos sejam desenvolvidos na ação, ao longo da relação com o cliente”, refere Sofia Calheiros. É assim que a Conceito O2, empresa de desenvolvimento do capital humano das organizações, funciona, de dentro para fora.

“Os colaboradores da Conceito O2 são sem dúvida o core da empresa. São o veículo do seu sucesso. Vestem totalmente a camisola, consideram os nossos clientes como uma prioridade e trabalham, em cada projeto, side by side com base numa confiança incondicional, presente em cada momento e decisão. Cada momento é mesmo único, desenhado especialmente, e intenso e os nossos colaboradores empenham-se em melhorar em cada momento, admitem as suas dificuldades, lutam, riem e divertem- -se para fazer sempre com grande qualidade, rapidez e inovação… tendo sempre o olhar generalista e especialista”, corrobora Isabel Freire de Andrade.

Com efeito, não é de estranhar que, quando questionada sobre as razões que levaram a Conceito O2 a ser distinguida como Melhor Fornecedor RH na área de Recrutamento, Seleção, Avaliação de Competências e Outplacement, a resposta da partner Sofia Calheiros tenha sido a seguinte: “a paixão pelo que fazemos, a genuína vontade de contribuir para que os nossos clientes alcancem os seus resultados, e ainda o permanente desafio interno de sempre procurar e propor tudo o que pode ser feito de forma diferente. Outra razão tem que ver com uma grande vontade de estar sempre a aprender, na crista da onda, e a reinventar com o avançar do mundo. Outra, o correr o risco de aplicar realmente. Associado a toda esta energia, que vem das emoções e do nosso pensar, procuramos continuamente associarmo-nos a parceiros que operam globalmente, com áreas de expertise científica reconhecidas mundialmente”.

 

RELAÇÃO FUSIONAL COM CLIENTES

Gratos pela distinção dos clientes que passam por empresas multinacionais e grandes empresas privadas portuguesas, nas mais diversas áreas – tecnologia, telecomunicações, banca e serviços financeiros, farmacêutica, indústria, bens de consumo e media –, a Conceito O2 admite ter “uma relação de parceria total, exclusiva, quase fusional em todos os momentos”, algo notório quando afirmam que, apesar do cliente final ser geralmente a direção da empresa, acabam por trabalhar com outros departamentos: RH, marketing, vendas, logística, IT, etc.

Mais, quando iniciam o trabalho para determinado cliente, “passam a fazer parte da sua estrutura”. Ouvem, compreendem, analisam, recolhem informação sobre o posicionamento do cliente no passado para saber como se posicionar no futuro. Aprendem e incorporam a linguagem, a forma de pensar, absorvem a cultura da organização para “perceber a melhor forma de a ajudar”. “Vibramos com as suas conquistas e para elas contribuímos, sentimos com tristeza os seus insucessos e com alegria as suas conquistas, damos o extra inch mile diariamente, desfrutando e contribuindo para o sucesso, dia a dia é a relação que pretendemos”, reforça Isabel de Andrade. Com uma relação de tal proximidade, o reconhecimento permite perceber que os clientes olham para a Conceito O2 “não como um custo, mas como um investimento” e dão a conhecer a potenciais novos clientes “o resultado do [seu] trabalho e dedicação”, avaliação que serve de recomendação aos mercados internacionais, como Angola e Brasil, onde esta empresa marca igualmente presença.

Destacando os “Programas Globais de Liderança” como um serviço de excelência que a Conceito O2 presta aos seus clientes, uma solução integrada e única, constituída por assessments, formação, coaching e consultoria, Sofia Calheiros explica que o preço em Recursos Humanos “não é determinante, embora possa ser condicionante”.

“Naturalmente, o contexto atual reforça a importância do gerir e negociar o fator ‘preço’. Porém, no final do dia, o que é verdadeiramente determinante é o impacto alcançado face ao custo, ou seja, o retorno real que, a priori, não é avaliável diretamente. Procuramos explorar uma abordagem ‘robusta’ para os desafios lançados e definir os verdadeiros fatores de sucesso para cada projeto. E a nossa experiência mostra-nos que os nossos clientes voltam a escolher a Conceito O2 por causa dos resultados conseguidos”, conclui.

 


 

Visite-nos nas
redes sociais